INSTITUTO HISTÓRICO E GEOGRÁFICO PARAIBANO/IHGP
Fundado em 7 de setembro de 1905
Declarado de Utilidade Pública pela Lei no 317, de 1909
CGC 09.249.830/0001-21 - Fone: 0xx83 3222-0513
CEP 58.013-080 - Rua Barão do Abiaí, 64 - João Pessoa-Paraíba

| Inicial | O Que é o IHGP? | Histórico | Símbolos do IHGP | Diretoria | Sócios | Biblioteca | Arquivo |
| Museu | História da Paraíba | Publicações | Links | E-mail | Livro de Visitas | Notícias |

Apresentação

 

Na passagem do centenário da fundação do Instituto Histórico e Geográfico Paraibano, a 7 de setembro de 2005, tornou-se imperioso dar continuidade ao livro História do Instituto Histórico e Geográfico Paraibano, lançado em 1998 pela Editora Universitária da Universidade Federal da Paraíba.

Instado pelos consócios do IHGP, novamente coube-me a tarefa de pesquisar os seus arquivos, rever atas e relatórios, anotar as atividades do Instituto e dos seus sócios, conferir as suas realizações, sua modernização, sua influência no movimento cultural paraibano e sua posição prestigiosa no cenário nacional.

O objetivo foi, portanto, complementar a edição daquele trabalho de minha autoria, registrando as atividades desenvolvidas no Instituto e por seus sócios no período subseqüente, isto é, de 1998 a 2005, ano em que se comemora o centenário da fundação do Instituto.

Nesses sete anos foi intensa a movimentação do quadro social com o falecimento de várias figuras ilustres que pertenciam ao nosso quadro de sócios efetivos, entre eles Aécio Villar de Aquino, José Fernandes de Lima, Laudimiro Leite de Almeida, Octacílio Nóbrega de Queiroz, Maurílio Augusto de Almeida, Abelardo de Araújo Jurema, Wilson Nóbrega Seixas, José Pedro Nicodemos, Odilon Ribeiro Coutinho (que não chegou a se empossar), Fernando Melo do Nascimento, Alfredo Carlos Schmalz, Carmen Coelho de Miranda Freire, Rosilda Cartaxo e Cláudio Santa Cruz Costa.

O preenchimento das cadeiras vagas ocorreu em clima de cordialidade, algumas com disputas moderadas, tendo o Instituto acolhido os seguintes novos sócios: Humberto Fonsêca de Lucena, Martha Maria Falcão de Carvalho Morais e Santana, Guilherme Gomes da Silveira d’Avila Lins, Rosa Maria Godoy Silveira, Joaquim Osterne Carneiro, Nelson Coelho da Silva, Lúcia de Fátima Guerra Ferreira, Luiz de Barros Guimarães, Altimar de Alencar Pimentel, Evandro Dantas da Nóbrega, Francisco Tancredo Torres, Adylla Rocha Rabelo e Francisco de Sales Gaudêncio.

O movimento da Secretaria continuou intenso, revelando o aumento copioso de correspondências expedidas e recebidas, publicações, boletins informativos, jornais, revistas, etc., num inusitado intercâmbio promovido pela atual administração.

A participação do Instituto e dos seus sócios nos eventos culturais locais, regionais e nacionais também foi apreciável, com sua representação presente no Rio de Janeiro, Goiás, Rio Grande do Norte, Pernambuco, Alagoas e Bahia. No interior do Estado, os sócios atuaram nos municípios de Água Branca, Alagoa Grande, Areia, Araruna, Campina Grande, Lucena, Patos, São João do Rio do Peixe e Santa Rita.

Os lançamentos na área editorial do próprio Instituto também tiveram seu ponto alto, batendo marcas nunca alcançadas. Foram editadas, a partir de 1998, sete Revistas, em convênio com a Universidade Federal da Paraíba e a Secretaria da Educação e Cultura do Estado.

Com o lançamento da Coleção de Historiadores Paraibanos foram editadas, pela A UNIÃO – Editora, 17 plaquetas em que os associados resgataram a vida e obra dos principais historiadores conterrâneos: Maximiano Lopes Machado, Coriolano de Medeiros, José Américo de Almeida, Horácio de Almeida, Elpídio Josué de Almeida, Adhemar Vidal, José Leal, Manoel Tavares Cavalcanti, Irineu Joffily, Celso Mariz, Cônego Francisco Lima, Cônego Florentino Barbosa, Francisco Coutinho de Lima e Moura, Irineu Ferreira Pinto, Wilson Nóbrega Seixas, José Pedro Nicodemos e Alcides Bezerra.

Igualmente, a produção histórico-literária dos associados se ampliou com excelentes publicações merecedoras do interesse do público em geral, obtendo muito boa repercussão nos meios culturais.

O Boletim Informativo do Instituto, seu grande instrumento de comunicação, completou doze anos de ininterrupta edição em dezembro de 2004.

O setor de informática foi ampliado e tem sido nessa área que todas as publicações do Instituto são editoradas, facilitando sua impressão com rapidez e a preços acessíveis.

Todo o acervo bibliotecário encontra-se catalogado eletronicamente, facilitando o acesso dos seus usuários. A Biblioteca substituiu suas velhas estantes por modernos arquivos deslizantes, uma inestimável colaboração do Governo do Estado na administração José Targino Maranhão, empreendimento que custou R$ 79.200,00.

Importante providência tomada por sua atual Diretoria foi a digitalização das Revistas do Instituto – 35 ao todo –, inclusive com um índice atualizado. O inteiro teor das Revistas se encontra agora em CD-ROM, graças ao apoio da Fundação Biblioteca Nacional e a colaboração da confreira Esther Caldas Bertoletti, assessora do Ministério da Cultura.

Projetos ambiciosos constam da pauta da atual Diretoria, tais como a instalação de um elevador e a climatização de toda a área da Biblioteca “Irineu Pinto”.

Este II Tomo complementa todas as atividades do Instituto desde a sua fundação em 1905 e está sendo editado com o apoio da Editora Universitária, graças à benemerência do Professor Rômulo Polari, Magnífico Reitor da Universidade Federal da Paraíba.

João Pessoa, setembro de 2005.

Luiz Hugo Guimarães

Presidente

 

____________________________________________________________________

 

 

Prefácio

 

A complementação oportuna de

“Um livro que faltava”

 

 

Mediante gentil convite do Prof. Luiz Hugo Guimarães – profícuo Presidente do Instituto Histórico e Geográfico Paraibano e fecundo cultor das nossas letras históricas – coube a mim escrever algumas palavras preambulares ao texto que se segue. Procurarei me desincumbir desta tarefa com a conveniente brevidade a fim de que o leitor possa logo se inteirar da riqueza de conteúdo desta obra.

 

De todo modo deve dizer que considero esta incumbência como uma convocação honrosa que muito me distingue. Assim entendo porque, por um lado, a presente publicação é de fundamental valor para a instituição a que se reporta, bem como para a história da cultura do Estado da Paraíba. Por outro lado ela vem à tona justamente no contexto do transcurso das comemorações da primeira centúria da vetusta Casa de Irineu Pinto (1905-2005), a mais antiga agremiação cultural desta terra em atividade contínua. Depreende-se daí, portanto, a boa hora em que surge um labor intelectual desta natureza, cuja execução é bem mais difícil do que à primeira vista pode parecer.

 

Acrescente-se ainda, a bem da verdade, que este trabalho do Prof. Luiz Hugo Guimarães até dispensaria um preâmbulo de mão alheia, levando-se em conta suas conhecidas e sobejas qualidades como escritor e historiador. Além disso, ressalte-se que este texto constitui efetivamente a continuação do tomo que o precedeu, cuja importância historiográfica lhe assegurou notória aceitação pública. Para completar esta argumentação há que se destacar ainda o fato de que o hoje primeiro tomo da História do Instituto Histórico e Geográfico Paraibano (1998) recebeu um competente prefácio do Prof. Joacil de Britto Pereira – nosso ilustre confrade, Ex-presidente deste sodalício centenário e Presidente da Academia Paraibana de Letras – cujo título já interpreta fiel e argutamente a obra por ele prefaciada: “Um livro que faltava” (29 de outubro de 1997).

 

Em síntese, resta-me dizer que este “livro que faltava” recebe agora do seu autor uma “complementação oportuna”. Seguindo o “fio de Ariadne” ele abarcou agora o período compreendido entre 1998 e 2005. Neste segundo tomo da sua História do Instituto Histórico e Geográfico Paraibano (2005) o Prof. Luiz Hugo Guimarães, com o mesmo zelo antes revelado, mantém o nível de qualidade do tomo precedente. As duas publicações formam um continuam, produto de exaustivo trabalho esmiuçador que requer muita dedicação ao lado da competência. Fica assim registrada em letra de forma para os estudiosos de hoje e também para a posteridade a trajetória do Instituto Histórico e Geográfico Paraibano desde as suas origens até o ano em curso. Finalizando, no meu entender esta iniciativa do Prof. Luiz Hugo Guimarães constitui, em conjunto, um presente muito especial para as comemorações do primeiro centenário dessa benemérita instituição cultural.

 

João Pessoa, 16 de julho de 2005.

 

                          Guilherme Gomes da Silveira d’Avila Lins

                 Professor Emérito da Universidade Federal da Paraíba

                   Membro do Instituto Histórico e Geográfico Paraibano

 

 

1998

 

 

Este ano se iniciou com a reforma do Estatuto, não só para atualizá-lo, mas para torná-lo mais flexível e capaz de acompanhar às exigências da modernidade administrativa.

Assim, passou-se a um regime presidencial em vez de se eleger todos os membros da Diretoria. Na eleição do corpo diretivo passou-se a escolher nomes apenas para a Presidência e Vice-Presidência, sendo os demais membros nomeados pela Presidência, os quais, obviamente, são demissíveis ad nutum.

Em agosto, a assembléia eleitoral escolheu a nova Diretoria para o período 1998/2001, cabendo à Presidência ao consócio Luiz Hugo Guimarães (reeleito) e para a Vice-Presidência o confrade Dorgival Terceiro Neto.

Os demais cargos da Diretoria foram preenchidos por nomeação, através de portaria presidencial, ficando a mesma assim constituída:

 

                                   Diretoria

 

Presidente: Luiz Hugo Guimarães

Vice-Presidente: Dorgival Terceiro Neto

Secretário Geral: Adauto Ramos

1ª Secretária: Waldice Mendonça Porto

2° Secretário: Domingos de Azevedo Ribeiro

Diretor de Atividades Culturais: Deusdedit  de

                                                            Vasconcelos Leitão

Tesoureiro: Nivalson Fernandes de Miranda

Os membros das Comissões Permanentes de Estudo continuaram sendo eleitos diretamente em chapas independentes da Diretoria. A seguir, eis a constituição daquelas Comissões:

 

Comissões Permanentes

 

Comissão de História e Arqueologia

 

Humberto Cavalcanti de Mello

Hélio Nóbrega Zenaide

Wilson Nóbrega Seixas

Maria de Fátima Araújo, suplente

 

Comissão de Geografia e Ecologia

 

Laudimiro Leite de Almeida

Fernando Melo do Nascimento

Carmen Coelho de Miranda Freire

Maria Balila Palmeira, suplente

 

Comissão de Antropologia, Etnografia e Sociologia

 

Aécio Villar de Aquino

Eurivaldo Caldas Tavares

Flávio Sátiro Fernandes

Itapuan Bôtto Targino, suplente

 

Comissão de Contas

 

Luiz Nunes Alves

Adailton Coelho Costa

Cláudio Santa Cruz Costa

Teresinha de Jesus Ramalho Pordeus, suplente

 

Comissão de Admissão de Sócios

 

Joacil de Britto Pereira

Rosilda Cartaxo

José Octávio de Arruda Mello

Altamir Cleto Milanez Pinto, suplente

 

Comissão da Revista

 

Luiz Hugo Guimarães

Joacil de Britto Pereira

Deusdedit de Vasconcelos Leitão

Humberto Cavalcanti de Mello

Rosilda Cartaxo

 

Boletim Informativo

 

Hélio Nóbrega Zenaide, editor

 

Essa Diretoria foi empossada a 7 de setembro de 1998, com mandato até setembro de 2001.

 

 

Produção cultural

 

 

Durante todo o ano de 1998 foi intenso o lançamento de trabalhos por parte dos associados do Instituto, cuja listagem a seguir mostra o desempenho dos confrades nessa área, oferecendo a lume importantes obras.

 

Alves, Luiz Nunes. – Copa-98 (em versos)

____ Delmiro Gouveia – Uma Estrela na pedra

Costa, Adailton Coelho. – Vale a pena envelhecer juntos

Freire, Carmen Coelho de Miranda. – As Ruas em que morei –

         (1918/1939)

Guimarães, Luiz Hugo. –  História   do  Instituto   Histórico  e

         Geográfico Paraibano

____ Historiografia Municipal da Paraíba

Leitão, Deusdedit de Vasconcelos. – Ruas de Tambaú

Leite, Ascendino. – Aforismos para o povo ilustrado

____ Os  Juizes

____ O Nariz de Cíntia

Medeiros, Manuel Batista de. – Acadêmicas (Construções  Li-

         terárias)

Mello, José Octávio de Arruda. – Guarabira, Democracia, Ur-

        banismo e Repressão (1945/65)

____Cristianismo  e  Diplomacia no Brasil Contemporâneo

Menezes, José Rafael de. – A Personalidade do Magistrado

____Andrade Bezerra – O erudito gentil

____Aníbal Bruno – Professor-Escritor

NASCIMENTO, Fernando Melo do. Cupim de Aço, 2ª  edição

Pereira, Joacil de Britto. – A  Vida  e  o  Tempo – 2° volume

____ Idealismo e Realismo  na  obra  de   Maquiavel, 3ª edição

____ Severino de Albuquerque Lucena

Ramos, Adauto. – Desembargador Antônio Ferreira Balthar

____ Meu Torrão

Ribeiro, Domingos de Azevedo. – Antônio  Guedes  Barbosa 

         O Homem e o Intérprete

____ Crônicas do Cotidiano - II

 

 

Nesse ano o Instituto lançou duas Revistas, as de n°.s 29 e 30, um feito inédito; a primeira editada graças ao apoio do então reitor Neroaldo Pontes de Azevedo, da UFPB, e a segunda pela Secretaria da Educação e Cultura do Estado, sob a direção do professor Carlos Pereira de Carvalho e Silva, e editada pela A UNIÃO – Editora.

A Revista n°. 29 contém matérias assinadas pelos consócios Adauto Ramos, Aécio Villar de Aquino, Amaury Vasconcelos, Carmen Coelho de Miranda Freire, Deusdedit Leitão, Domingos de Azevedo Ribeiro, Dorgival Terceiro Neto, Eurivaldo Caldas Tavares, Hélio Nóbrega Zenaide, Humberto Mello, Joacil de Britto Pereira, José Octávio de Arruda Mello, Luiz Hugo Guimarães, Martha Falcão, Octacílio Nóbrega de Queiroz, Reinaldo de Oliveira Sobrinho, Rosilda Cartaxo e Wellington Aguiar.

Da Revista n°. 30 constam ensaios dos confrades Adauto Ramos, Aécio Villar de Aquino, Carmen Coelho de Miranda Freire, Domingos de Azevedo Ribeiro, Eurivaldo Caldas Tavares, Fernando Melo do Nascimento, Guilherme Gomes da Silveira d’Avila Lins, José Rafael de Menezes, Luiz Hugo Guimarães, Luiz Nunes Alves, Marcus Odilon Ribeiro Coutinho, Martha Falcão, Waldice Porto e Wellington Aguiar.

 

 

Noticiário do IHGP

 

 

 O ano de 1998 reproduziu a grande atividade do Instituto mencionada no livro História do Instituto Histórico e Geográfico Paraibano, de autoria do autor, onde foram consignadas as principais ocorrências desde a fundação do IHGP, em 1905.

Relacionamos, a seguir, as principais atividades.

 

■ ■ ■ Durante o recesso do Instituto no mês de janeiro foi feita a pintura das dependências da Biblioteca e do Gabinete da Presidência, o qual se apresenta com um novo visual em face da renovação do seu mobiliário moderno adquirido.

 

■ ■ ■ No dia 11 foi lançado o 2° volume do livro A Vida e o Tempo – Memórias, do confrade Joacil de Britto Pereira, apresentado pelo consócio Ascendino Leite.

 

■ ■ ■ Na primeira sessão do ano foi lançada uma plaqueta com o relatório apresentado pelo Presidente referente às atividades do Instituto em 1997.

 

■ ■ ■ Foram outorgados Certificados de Reconhecimento aos sócios que, em 1997, se destacaram  em  suas  atividades intelectuais, tais como publicação de livros, monografias, trabalhos na imprensa, etc. Foram agraciados os seguintes consócios: Adauto Ramos, Ascendino Leite, Balila Palmeira, Carmen Coelho de Miranda Freire, Domingos de Azevedo Ribeiro, Eurivaldo Caldas Tavares, Fátima Araújo, Hélio Nóbrega Zenaide, Joacil de Britto Pereira, José Octávio de Arruda Mello, José Rafael de Menezes, Luiz Nunes Alves, Luiz Crispim, Luiz Hugo Guimarães, Marcus Odilon Ribeiro Coutinho, Nivalson Fernandes de Miranda e Wellington Aguiar.

 

■ ■ ■ Vários exemplares de jornais que estavam amontoados foram encadernados e arquivados na hemeroteca, à qual foram incorporados 12 volumes do jornal A União, referente ao ano de 1996.

 

■ ■ ■ Foi criada a Seção da Imagem e do Som, tornando-se obrigatória a filmagem de todas as sessões e acontecimentos no Instituto assim como a gravação dos discursos e pronunciamentos dos sócios e participantes. O arquivo dessa Seção já conta com cerca de 100 vídeos e outras tantas fitas K-7, todos catalogados por data de ocorrência.

 

■ ■ ■ Foi concluída a catalogação da Coleção Paraibana, composta então de 2.834 publicações de autores paraibanos e/ou de outros autores que escreveram sobre a Paraíba. Também fazem parte dessa coleção 1.116 exemplares de periódicos, compreendendo 134 títulos. Todo esse acervo foi igualmente informatizado.

 

■ ■ ■ Sob a supervisão do consócio Adauto Ramos, Secretário Geral, foi organizada a Coletânea de Textos “Eduardo Martins”, constituída por vários trabalhos avulsos de consócios e outros autores paraibanos. Foram listados, inicialmente, 133 trabalhos colocados à disposição dos usuários da Biblioteca “Irineu Pinto”.

 

■ ■ ■ Em assembléia geral foi reformado o Instituto para se transformar em regime presidencial o funcionamento da Diretoria, para qual serão eleitos apenas o Presidente e o Vice-presidente, sendo os seus demais membros nomeados por portaria da Presidência. O número de membros das Comissões Permanentes de Estudo foi reduzido para três membros e um suplente.

 

■ ■ ■  A Direção do Instituto enviou circular a todos os prefeitos sugerindo a criação de um Núcleo Histórico e Geográfico no âmbito da Secretaria de Cultura do Município com o objetivo de estimular a feitura da sua História Municipal. De imediato, o prefeito David Sampaio Falcão, acolheu a sugestão baixando o Decreto n° 044/98 criando o Núcleo Municipal de Cultura de Lucena, sob a presidência da professora Maria Ernestina Cornélio Nascimento.

 

Exposição - FENART
O Instituto participou com um estande no IV Festival Nacional de Artes - FENART
-, promovido pelo Governo do Estado no Espaço Cultural “José Lins do Rego”.

<--Página anterior       Próxima página -->



|Inicial | O Que é o IHGP? |Histórico| Símbolos do IHGP |Diretoria |Sócios |Biblioteca |Arquivo |
| Museu |História da Paraíba| Publicações |Links |E-mail |Livro de Visitas | Notícias |


Editor do site