INSTITUTO HISTÓRICO E GEOGRÁFICO PARAIBANO/IHGP
Fundado em 7 de setembro de 1905
Declarado de Utilidade Pública pela Lei no 317, de 1909
CGC 09.249.830/0001-21 - Fone: 0xx83 3222-0513
CEP 58.013-080 - Rua Barão do Abiaí, 64 - João Pessoa-Paraíba

| Inicial | O Que é o IHGP? | Histórico | Símbolos do IHGP | Diretoria | Sócios | Biblioteca | Arquivo |
| Museu | História da Paraíba | Publicações | Links | E-mail | Livro de Visitas | Notícias |

Quadro Social 2002

 

 

Tem sido difícil manter o Quadro Social completo durante cada ano, posto que há sempre um desenlace surpreendendo as nossas expectativas.

Neste ano de 2002 o Instituto perdeu quatro sócios efetivos, três deles com quase quarenta anos dedicados ao do Instituto.

No dia 11 de março faleceu o historiador Wilson Nóbrega Seixas, aos 86 anos de idade e 27 de atividade no Instituto. Era especialista em Historia do Sertão, tornando-se um dos maiores pesquisadores nessa área. Seus estudos aprofundados baseados em prova primária insuspeitável, corrigiram vários enganos cometidos por sucessivos historiadores que se dedicaram à conquista e formação do interior paraibano.

Wilson Seixas ocupava a cadeira n°. 15, cujo patrono é o ex-presidente da Província da Paraíba do Norte Francisco Delgado Freire de Castilho.

No mês seguinte, a 14 de abril, faleceu o professor José Pedro Nicodemos, 86 anos, 46 anos de vinculação ao IHGP. Notabilizou-se como um dos primeiros professores de História a se dedicar à Historiografia paraibana e brasileira. Ocupava a cadeira n°. 10, cujo patrono é o escritor Oscar de Oliveira Castro.

Em julho, no dia 12, faleceu o engenheiro-agrônomo Fernando Melo do Nascimento, 84 anos, tendo ingressado no Instituto em 24 de maio de 1986. Figura destacada na área de sua atividade era conhecido internacionalmente por seus conhecimentos sobre o algodoeiro mocó. Ocupava a cadeira n°. 05, cujo patrono é o historiador Elpídio Josué de Almeida.

A 2 de dezembro, faleceu, no Recife, o historiador alemão naturalizado brasileiro Alfredo Carlos Schmalz, 86 anos, que ingressara no IHGP a 14 de agosto de 1965 e ocupava a cadeira n°. 17, que tem como patrono o jurista Francisco Seraphico da Nóbrega. Especializou-se em assuntos do domínio holandês no Nordeste, particularizando seus estudos sobre Maurício de Nassau.

Neste ano ocorreu apenas o ingresso de dois novos sócios no Quadro de Sócios Efetivos.

O primeiro foi o historiador Luiz de Barros Guimarães, que ingressou no Instituto na sessão solene do dia 16 de agosto, ocupando a cadeira n°. 15, que era ocupada pelo historiador Wilson Nóbrega Seixas. Foi saudado pelo historiador Guilherme Gomes da Silveira d’Avila Lins.

O segundo sócio a ingressar no Quadro de Sócios Efetivos no ano 2002 foi o historiador Altimar de Alencar Pimentel, que veio ocupar a cadeira n°. 10, vaga com o falecimento do historiador José Pedro Nicodemos. Sua posse se deu a 22 de novembro, sendo saudado pelo confrade Guilherme Gomes da Silveira d’Avila Lins.

 O Quadro de Sócios Correspondentes teve a baixa do ilustre historiador pernambucano José Antônio Gonsalves de Mello [Neto], que durante muitos anos presidiu o Instituto Arqueológico e Histórico Pernambucano.

Este Quadro, porém, foi acrescido com o ingresso de três novos sócios:

1.      Cientista Melquíades Pinto Paiva, presidente da Academia Cearense de Letras e Artes, sediada no Rio de Janeiro, onde reside o novo sócio.

2.      Historiador José Reinaldo Carneiro Leão, diretor do Instituto Arqueológico e Geográfico Pernambucano, residente no Recife.

3.      Escritor Tobias Pinheiro, presidente da Academia Carioca de Letras, residente no Rio de Janeiro.

No Quadro de Sócios Honorários foi admitido o Monsenhor Marcos Augusto Trindade, reitor do Centro Universitário de João Pessoa – UNIPÊ.

 

 

2003

 

 

O ponto alto deste ano foi a realização do Ciclo de Debates abordando o tema Paraíba Colonial (Revisão Crítica Documental e Interpretativa da História Oficial – Século XVI), iniciada a 4 de agosto, na sede do Instituto.

O curso se iniciou com 33 participantes inscritos, noventa por cento deles de nível superior, dentre historiadores, jornalistas, arquitetos, engenheiros e professores universitários.

O expositor designado pelo Instituto foi o historiador e pesquisador do NDIHR Guilherme Gomes da Silveira d’Avila Lins, o qual, durante dezoito sessões, à luz de documentação primária que foi exibida,  debateu  alguns temas polêmicos da historiografia paraibana.

Os principais episódios do primeiro núcleo colonial da Paraíba (1578-1579), o forte do Varadouro, os fortes de São Felipe e São Tiago, os primeiros passos da Capitania, o primeiro proprietário de terras, as primeiras sesmarias, a primeira rua que virou a segunda, fortes e engenhos de açúcar, foram assuntos enfocados e esmiuçados exaustivamente.

 

Vejamos o programa que foi examinado e debatido:

 

I Ciclo de Debates – Paraíba Colonial

(Revisão crítica documental e interpretativa da História Oficial – Século XVI)

 

Promoção: Instituto Histórico e Geográfico Paraibano

Expositor: Guilherme Gomes da Silveira d’Avila Lins

Temário

 

04/8/2003  (2ª feira – 09h00)

Um primitivo núcleo colonial na Paraíba (1578 ou 1579), situado na ilha da Restinga, que nunca existiu.

 

11/8/2003  (2ª feira – 09h00)

O forte de São Filipe e São Tiago que não marcou o início da Cidade. Francisco Castrejon e Frutuoso Barbosa.

 

18/8/2003  (2ª feira – 09h00)

O forte do Varadouro: um engenheiro que era apenas senhor de engenho e um arquiteto d’El-Rei que foi transformado num atual mestre-de-obras ou pedreiro.

 

25/8/2003  (2ª feira – 09h00)

A Cidade que nasceu Povoação e a colonização imediata somente iniciada um ano depois. O governo interino de João Tavares e sua deposição pouco valorizada. A identificação do primeiro proprietário de terras na Paraíba. O forte de São Sebastião e o primeiro passo da Capitania.

                                     

01/9/2003  (2ª feira – 09h00)

O governo efetivo de João Tavares. As primeiras sesmarias. Os fortes das fronteiras (Manoel de Azevedo e Diogo Nunes Correia).

 

08/9/2003  (2ª feira – 09h00)

A primeira rua que virou segunda rua.  As  primeiras  edificações urbanas. O estabelecimento da ordem administrativa.                                                            

 

15/9/2003  (2ª feira – 09h00)

Os dois primeiros engenhos de açúcar.

 

22/9/2003  (2ª feira – 09h00)

O governo de Frutuoso Barbosa. O forte do Inobi e o forte do Cabedelo. Novos engenhos de açúcar. A primeira crise religiosa.

29/9/2003  (2ª feira – 09h00)

A identificação do chamado “primeiro” Capitão do forte do Cabedelo. A doação do cargo de juro e herdade. A questão da invocação religiosa desta fortificação.

 

06/10/2003 (2ª feira – 09h00)

O obscuro governo interino de André de Albuquerque. O forte do Cabedelo assolado.

 

13/10/2003 (2ª feira – 09h00)

O governo de Feliciano Coelho de Carvalho. A segunda crise religiosa. A Inquisição na Paraíba. A redução dos potiguara após 25 anos de beligerância.

 

20/10/2003 (2ª feira – 09h00)

Os Jesuítas e os Franciscanos na Paraíba.

 

27/10/2003 (2ª feira – 09h00)

Os Beneditinos e os Carmelitas na Paraíba.

 

03/11/2003 (2ª feira – 09h00)

A Santa Casa da Misericórdia da Paraíba. A Igreja da Misericórdia e a Capela do Salvador do Mundo.

 

10/11/2003 (2ª feira – 09h00)

O que se sabe do governo de Francisco de Souza Pereira ?

 

17/11/2003 (2ª feira – 09h00)

Quando ocorreu o desmembramento da Capitania de Itamaracá ? Existiu uma Capitania Real da Paraíba ?

 

24/11/2003 (2ª feira – 09h00)

Revisão e retificação dos sucessivos nomes oficiais da Capital da Paraíba ao longo do tempo.

01/12/2003 (2ª feira – 09h00)

Alguns documentos básicos para os primórdios da História da Paraíba.

 

Ao final, em sessão solene, foram entregues Certificados de Participação aos inscritos que compareceram a mais de 75 % das sessões realizadas.


Sessão do I Ciclo de Debates sobre a Paraíba Colonial

Foto de uma das concorridas sessões do I Ciclo de Debates sobre a Paraíba Colonial.

 

 

Produção cultural

 

 

Como nos anos anteriores, o Instituto e seus associados continuaram com grande participação na área cultural, ora em artigos na imprensa, ora proferindo palestras e conferências, ora publicando livros.

Vejamos a relação das obras publicadas:

 

ALVES, Luiz Nunes. A Princesa Megalona e o seu amor por

           Pierre       

CARNEIRO, Joaquim Osterne. Evocando Janduhy Carneiro no

          seu Centenário

GUIMARÃES, Luiz Hugo. Crônica do Tempo Distante

____ Cônego Francisco Lima

____ Joacil de Britto Pereira – 80 Anos

LEITE, Ascendino. 3° Céu – Visões x Reflexões

____ Aforismos de Precisão

____ O Suicídio de Getúlio

LINS, Guilherme Gomes da Silveira d’Avila.  Um  primitivo nú-

         cleo colonial na Paraíba (1578-1579), situado na  I lha da

        Restinga, que nunca existiu

LUCENA, Humberto Fonsêca.     Associação dos Magistrados da

         Paraíba – Uma trajetória de 45 anos

MEDEIROS, Manuel Batista de. Capitania Holandesa da Parai-

        ba – O Condado dos pães de açúcar,  numa visão do século

       XVII

MIRANDA, Nivalson Fernandes de. Sertão Histórico Monumen-

       tal

PEREIRA, Joacil de Britto. Um Homem e o Destino

PIMENTEL, Altimar de Alencar e BORGES, Francisca Neuma Fechine. Bibliografia Paraibana de Folclore e Literatura Popular

PORDEUS, Teresinha de Jesus Ramalho. História da Paraíba na

          Sala de Aula, 3ª edição

RAMOS, Adauto. João Pessoa – Biografia e Genealogia

____ Cândido de França Ramos – Meu Pai

SILVA, Afonso Pereira da. Natal – Poesias

TARGINO, Itapuan Bôtto. Patrimônio   Histórico   da  Paraíba –

         2000/2002

TERCEIRO NETO, Dorgival. Taperoá – Crônica para a sua his-

         tória.

 

Revista nº. 36

 

O Instituto lançou a Revista n° 36 (252 páginas) com a participação dos seguintes associados na seção ENSAIOS: Adauto Ramos, Guilherme Gomes da Silveira d’Avila Lins,  Humberto Fonsêca de Lucena, Joaquim Osterne Carneiro, José Octávio de Arruda Mello, Luiz de Barros Guimarães, Luiz Hugo Guimarães Marcus Odilon Ribeiro Coutinho, Mário da Cunha Raposo e Wellington Aguiar.

Como COLABORADORES aparecem os sócios correspondentes Alberto Martins da Silva (DF), de Brasília; Expedito Ramalho de Alencar, de Campinas (SP); Fernando Whitaker da Cunha, do Rio de Janeiro (RJ); José Antônio de Ávila Sacramento, de São João del Rey (MG); e Francisco Tancredo Torres, Representante Especial do Instituto na cidade de Areia.

Na seção DISCURSOS encontram-se pronunciamentos dos consócios Guilherme Gomes da Silveira d’Avila Lins, Humberto Cavalcanti de Mello, Joacil de Britto Pereira, José Octávio de Arruda Mello, Luiz de Barros Guimarães e Rosa Maria Godoy Silveira. Também foram transcritos os discursos proferidos pela acadêmica Ângela Bezerra de Castro em homenagem póstuma ao ex-associado Odilon Ribeiro Coutinho e pela professora de História Elza Regis de Oliveira em homenagem póstuma ao ex-associado José Pedro Nicodemos.

Foram mantidas as seções habituais: Atividades do IHGP, Publicações do Ano, In Memoriam, Novos Sócios, Atas e a parte iconográfica.

 

 

Noticiário do IHGP

 

Relacionamos em ordem cronológica as atividades do Instituto e dos seus associados, inclusive dos sócios correspondentes que mantêm constante intercâmbio com o Instituto.

 

■ ■ ■ No dia 1° de janeiro, o consócio José Octávio de Arruda Mello foi empossado como Diretor Executivo do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado da Paraíba (IPHAEP).

 

■ ■ ■ Foi lançado no dia 5 o livro de memórias do historiador Luiz Hugo Guimarães intitulado Crônica do Tempo Distante, o qual foi apresentado pelo acadêmico Joacil de Britto Pereira.

 

■ ■ ■ O associado Luiz Hugo Guimarães ingressou, no dia 22, no Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo como Sócio Correspondente, para o qual fora recentemente eleito. Naquela sessão, o historiador Luiz Hugo foi representado pelo historiador Hernâni Donato, sócio correspondente do IHGP, residente em São Paulo.

 

■ ■ ■ No dia 27, o confrade Luiz Nunes Alves assumiu, pela quarta vez, a presidência do Tribunal de Contas do Estado.

■ ■ ■ Dia 29, o consócio Flávio Sátiro Fernandes foi  homenageado pelo Tribunal Regional Eleitoral que inscreveu seu nome como patrono do VI Núcleo de Apoio Técnico daquela instituição na cidade de Patos.

 

■ ■ ■ Em fevereiro, foi elaborado o Catálogo da Coleção Paraibana do Instituto, um relevante serviço prestado pela bibliotecária-arquivista Geovânia Fernandes de França.

 

■ ■ ■ Luiz Hugo Guimarães recebeu o título de Sócio Honorário do Rotary Club de João Pessoa, dia 7, por ocasião das comemorações dos 70 anos da fundação daquele clube de serviço.

 

■ ■ ■ No dia 12, na Academia Paraibana de Letras, o confrade Joacil de Britto Pereira lançou o livro Um Homem e o Destino.

 

■ ■ ■ No dia 13, aquele consócio foi homenageado no Instituto pela passagem do seu octogésimo aniversário natalício, sendo saudado pelo confrade Dorgival Terceiro Neto. Durante a homenagem o presidente Luiz Hugo Guimarães pronunciou breves palavras e lançou uma plaqueta sobre a vida e obra do aniversariante.

 

■ ■ ■ Em março, dia 8, consagrado à Mulher, foi lançado um Boletim Informativo especial em homenagem às historiadoras pertencentes ao Instituto, destacando as doze associadas em fotos a cor.

 

■ ■ ■ No dia 21 o governador Cássio Rodrigues da Cunha Lima nomeou os seguintes associados para o Conselho Estadual de Cultura: Amaury de Araújo Vasconcelos, Humberto Fonsêca de Lucena e José Octávio de Arruda Mello. Também foi nomeado o historiador José Romildo de Souza, Representante Especial do Instituto na cidade de Patos.

■ ■ ■ Em assembléia geral extraordinária, dia 22, foi eleito sócio efetivo do IHGP o historiador Francisco Tancredo Torres para ocupar a cadeira n° 17, vaga com o falecimento do historiador Alfredo Carlos Schmalz.

 

■ ■ ■ No dia 28, dentro das comemorações da emancipação política do município de Patos, a confreira Balila Palmeira proferiu palestra sob o título A História da Mulher nos cem anos de Patos.

 

■ ■ ■ Em Campinas (SP), o sócio correspondente Expedito Ramalho de Alencar lançou seu livro de contos Ciladas do Destino.

 

■ ■ ■ Em abril, no dia 2, faleceu em João Pessoa a historiadora Carmen Coelho de Miranda Freire, que ocupava a cadeira n°. 29, cujo patrono é o Arcebispo D. Carlos Coelho.

 

■ ■ ■ No dia 9, na Livraria Siciliana do Shopping Center de Manaíra, o sócio correspondente Ariano Suassuna recebeu expressiva homenagem da intelectualidade paraibana por ter sido investido como Patrono daquela Livraria.

 

■ ■ ■ No dia 11 foi lançado o livro 3° Céu – Visões e Reflexões, do associado Ascendino Leite.

 

■ ■ ■ Em sessão especial, dia 28, o Instituto prestou homenagem ao pintor conterrâneo Pedro Américo, na passagem dos 160 anos de sua morte, tendo falado na ocasião a professora Violeta de Brito Lyra Salviano e os consócios Joaquim Osterne Carneiro, Amaury de Araújo Vasconcelos, Joacil de Britto Pereira e Luiz Hugo Guimarães.

 

■ ■ ■ Em Areia, onde nasceu Pedro Américo, no dia 29 também foi prestada homenagem pela data aniversária de sua morte, tendo o Representante Especial do IHGP, historiador Francisco Tancredo Torres, pronunciado palestra sobre a vida e  obra do homenageado.

 

■ ■ ■ O sócio correspondente Melquíades Pinto Paiva foi eleito sócio correspondente do Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Norte.

 

■ ■ ■ Em maio, o sócio honorário do IHGP Marcos Augusto Trindade foi empossado como sócio efetivo da Academia Paraibana de Letras.

 

■ ■ ■ Dia 15, o historiador e acadêmico Afonso Pereira da Silva lançou o livro Natal – Poesias.

 

■ ■ ■ Na Livraria Nobel, dia 29, o confrade Joacil de Britto Pereira lançou seu livro Um Homem e seu Destino.

 

■ ■ ■ O cientista e sócio correspondente Melquíades Pinto Paiva foi eleito sócio correspondente do Instituto Histórico e Geográfico de Goiás.

 

■ ■ ■ Em junho, dia 6, visitou a sede do Instituto o acadêmico Lêdo Ivo, da Academia Brasileira de Letras, sendo recebido pelo Vice-Presidente Dorgival Terceiro Neto e pelos Diretores Adauto Ramos, Waldice Mendonça Porto e Humberto Fonsêca de Lucena, presentes também os associados Itapuan Bôtto Targino e Teresinha de Jesus Ramalho Pordeus.

 

■ ■ ■ Na Fundação Casa de José Américo, dia 5, o confrade José Octávio de Arruda Mello fez palestra sob o título Uma Trajetória da Guerra Mundial ao Partido Comunista.

 

■ ■ ■ No dia 16, no Palácio do Governo, o  confrade Ariano Suassuna foi homenageado na passagem do seu aniversário natalício, ao completar 76 anos de idade.

 

■ ■ ■ Em sessão solene, no dia 27, foi empossado no Quadro de Sócios Efetivos, o jornalista Evandro Dantas da Nóbrega, que passou a ocupar a cadeira n°. 05, vaga com o falecimento do consócio Fernando Melo do Nascimento. O novo sócio foi saudado pelo confrade Joacil de Britto Pereira.

 

■ ■ ■ Na homenagem prestada em São João do Cariri, comemorativa do bicentenário de sua emancipação política, o Instituto Histórico foi representado pelo historiador Francisco Tancredo Torres.

 

■ ■ ■ A confreira Cybelle Moreira de Ipanema recebeu o Diploma de Honra ao Mérito do Museu da Imprensa Brasileira, sediado em Niterói (RJ).

 

■ ■ ■ O historiador Carlos Humberto Pederneiras Corrêa, sócio correspondente do IHGP, foi nomeado membro do Conselho Estadual de Santa Catarina.

 

■ ■ ■ Na Bienal do Livro, no Rio de Janeiro, foi lançada nova edição do livro Independência: Revolução e Contra-Revolução, do ex-sócio correspondente José Honório Rodrigues. O livro foi autografado pela sócia correspondente Leda Boechat Rodrigues, viúva do autor; também o livro História das Lutas com os Holandeses no Brasil, do sócio correspondente F. A. Varnaghen, foi autografado pelo consócio Arno Wehling, presidente do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro.

 

■ ■ ■ O confrade Expedito Ramalho de Alencar, residente em Campinas (SP), lançou seu livro Meu Diário no CONDEPAC, resumindo os dois anos de atividade que passou como membro do Conselho de Defesa do Patrimônio Cultural de Campinas.

 

■ ■ ■ O Instituto recebeu 279 CDs contendo as pesquisas feitas no Arquivo Histórico Ultramarino de Lisboa sobre o período colonial do Brasil como parte do Projeto Resgate “Barão do Rio Branco”, coordenado pela sócia correspondente Esther Caldas Bertoletti. A documentação sobre a Paraíba colonial existente no Arquivo Histórico Ultramarino de Lisboa compreende seis CDs, cujos verbetes estão em um Catálogo de 657 páginas editado pela Universidade Federal da Paraíba, organizado pelos professores Elza Regis de Oliveira, Mozart Vergetti de Menezes e Maria da Vitória Barbosa Lima, sob a coordenação da confreira professora Rosa Maria Godoy Silveira. O Catálogo e os CDs foram colocados à disposição dos usuários.

 

■ ■ ■ No dia 8 de julho, em São Paulo, faleceu o sócio benemérito Tarcísio de Miranda Burity, ex-governador do Estado.

 

■ ■ ■ O historiador Itapuan Bôtto Targino lançou, no dia 15, seu livro Patrimônio Histórico da Paraíba – 2000/2002.

 

■ ■ ■ Durante as comemorações do aniversário da fundação do Hospital Laureano o consócio Joaquim Osterne Carneiro homenageou o ex-Deputado Federal Janduhy Carneiro, que foi um dos sustentáculos do Hospital do Câncer paraibano. No dia 21, na ocasião lançou uma plaqueta intitulada Evocando Janduhy Carneiro no seu Centenário.

 

■ ■ ■ No dia 25, no Museu “José Lins do Rego” da Fundação Espaço Cultural foram lançados os livros História da Paraíba na Sala de Aula, de autoria da confreira Teresinha de Jesus Ramalho Pordeus, e a plaqueta João Pessoa – Biografia e Genealogia, de autoria do confrade Adauto Ramos.

 

■ ■ ■ No mesmo dia e local – Dia do Escritor – foram homenageados os confrades Joacil de Britto Pereira, Teresinha de Jesus Ramalho Pordeus e Adauto Ramos, pertencentes ao Instituto Histórico, e as escritoras Ângela Bezerra de Castro e Mariana Cantalice, sócias da Academia Paraibana de Letras.

 

■ ■ ■ Ainda no dia 25, o Conselho Regional de Administração promoveu homenagem ao ex-Presidente João Pessoa, com palestras proferidas pelos consócios Luiz Hugo Guimarães e Wellington Aguiar.

 

■ ■ ■ No dia seguinte, data da morte do Presidente João Pessoa, o confrade Wellington Aguiar fez novo pronunciamento na cripta do ex-presidente, seguindo uma tradição de 20 anos.

 

■ ■ ■ De 27 de julho a 1° de agosto, realizou-se em João Pessoa o XXII Simpósio Nacional promovido pela Associação Nacional de Professores Universitários de História, nas dependências da Universidade Federal da Paraíba. No quadro de conferencistas figuraram a confreira Rosa Maria Godoy Silveira, os sócios correspondentes Arno Wehling, presidente do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro e Carlos Humberto Pederneiras Corrêa, presidente do Instituto Histórico e Geográfico de Santa Catarina e os historiadores Miridan Falci e Marcos Guimarães Sanches, membros do IHGB. Vários associados do Instituto deram presença no Simpósio.

 

■ ■ ■ No dia 30, o Instituto recebeu a visita dos historiadores Arno Wehling e Carlos Humberto Pederneiras Corrêa, presidentes do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro e do Instituto Histórico e Geográfico de Santa Catarina, respectivamente, os quais estavam acompanhados do historiador Marcus Guimarães Sanches, sócio do IHGB. Os visitantes foram recebidos pelo presidente Luiz Hugo, pelo vice-presidente Dorgival Terceiro Neto, consócio Joacil de Britto Pereira, presidente da Academia Paraibana de Letras, Waldice Porto, 1ª Secretária, e pelos consócios Luiz de Barros Guimarães, Evandro Dantas da Nóbrega, Balila Palmeira e Teresinha de Jesus Ramalho Pordeus. À noite, a Diretoria do Instituto ofereceu aos visitantes um jantar na Adega do Alfredo.

 


Seção de Obras Raras         Galeria de Ex-Presidentes

O Instituto recebeu a visita dos historiadores Arno Wehling, presidente do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, Carlos Humberto Corrêa, do Instituto de Santa Catarina, e Marcos Guimarães Sanches, do IHGB. Na foto 1ª conhecendo a Seção de Obras Raras e na 2ª visitando a Galeria de Ex-Presidentes, presentes os consócios Luiz Hugo Guimarães, Joacil Pereira, Guilherme d’Avila Lins e Evandro Nóbrega.

 

■ ■ ■ Em agosto, no dia 4, foi iniciado o Ciclo de Debates sobre a Paraíba Colonial - Século XVI, tendo como expositor o historiador Guilherme Gomes da Silveira d’Avila Lins. As sessões do Ciclo se realizaram todas as segundas-feiras no horário matinal com encerramento previsto, em sessão solene, para o dia 4 de dezembro. Foram inscritos 33 participantes de nível superior titulados em História, Engenharia, Arquitetura, Geografia, Jornalismo e pesquisadores da área universitária.

 

■ ■ ■ Dia 20, em sessão especial, foi prestada homenagem ao ex-presidente do Instituto Cônego Francisco Lima, na passagem do centenário do seu nascimento. Falaram sobre o ilustre historiador eclesiástico a confreira Waldice Mendonça Porto, o historiador Joacil de Britto Pereira e o presidente Luiz Hugo Guimarães, tendo a professora Socorro Vilanova agradecido a homenagem em nome dos familiares do Cônego Francisco Lima. Na ocasião, o confrade Luiz Hugo Guimarães lançou uma plaqueta sobre a vida e a obra do homenageado, intitulada Cônego Francisco Lima – Padre, historiador e mestre.

 

■ ■ ■ Em assembléia geral  realizada no dia 23 de agosto a acadêmica Adylla Rocha Rabelo foi eleita para o Quadro de Sócios Efetivos do Instituto, onde ocupará a cadeira n° 29, em substituição à historiadora Carmen Coelho de Miranda Freire, falecida recentemente.

 

■ ■ ■ No dia 25, na sede da Academia Paraibana de Letras, o confrade Marcus Odilon Ribeiro Coutinho lançou seu livro de crônicas intitulado Banqueiros Ingleses na Guerra de 1864.

 

■ ■ ■ A confreira Martha Falcão proferiu palestra na cidade de Santa Rita sobre o tema Santa Rita: Sua História e Formação.

 

■ ■ ■ Em setembro, dia 2, vinte e dois alunos do Curso de Gestão Documental e Arquivo promovido pela Prefeitura Municipal de João Pessoa fizeram visita de estudos para conhecer a organização do acervo do Instituto. Os alunos foram acompanhados pelas professoras do Curso Esmeralda Porfírio Caldas Ricarte de Souza e Geane de Lima Souto, sendo recebidos pela bibliotecária-arquivista Geovânia Fernandes de França e pelo presidente Luiz Hugo Guimarães.

 

■ ■ ■ No dia seguinte, visitou as dependências do Instituto o historiador Antônio Salgado, professor de História da Literatura Brasileira no Porto, Portugal, o qual veio acompanhado da professora Neuma Fechine Borges, da Universidade Federal da Paraíba.

 

■ ■ ■ Ainda no dia 2, em São João do Rio do Peixe (PB), a historiadora Rosilda Cartaxo foi homenageada com a aposição do seu retrato na Biblioteca do município. Na ocasião, o historiador Itapuan Bôtto Targino, que esteve presente à solenidade, lançou seu livro Patrimônio Histórico da Paraíba – 2000/2002.

 

■ ■ ■ De 4 a 6 de setembro realizou-se, em Salvador (BA), o V Encontro Regional de Institutos Históricos do Nordeste, tendo o IHGP se feito representar por seu associado Luiz de Barros Guimarães.


Instituto de Solânea ■ ■ ■ No dia 4 de setembro, o presidente Luiz Hugo Guimarães esteve presente à sessão solene realizada na cidade de Solânea, no brejo paraibano, quando foi fundado o Instituto Histórico e Geográfico de Solânea, pelo historiador Wolhgadon Costa de Araújo, sob a inspiração do IHGP. O discurso de abertura dos trabalhos foi proferido pelo presidente Luiz Hugo. O IHGP ofertou 150 livros para a organização inicial da biblioteca do Instituto de Solânea.

 

■ ■ ■ Também esteve em visita ao Instituto o coronel Rosty, assessor cultural da 7ª Região Militar, estudioso das batalhas contra os holandeses. O coronel Rosty veio acompanhado do Dr. Guillermo Isfrán, Cônsul do Paraguai no Recife. Os visitantes foram recebidos pelo presidente Luiz Hugo Guimarães e pelo confrade Luiz de Barros Guimarães.

 

■ ■ ■ No dia 12, sob os auspícios do Centro Universitário de João Pessoa – UNIPÊ, foi lançado na Academia Paraibana de Letras o livro do consócio Dorgival Terceiro Neto, intitulado Taperoá – Crônica para a sua história.

 

■ ■ ■ Esteve em visita ao Instituto o professor Andrew J. Kirkendall, da Texas A&M University, Texas, USA, colhendo dados sobre a Campanha da Educação Popular no governo Pedro Gondim.

 

■ ■ ■ O consócio Luiz de Barros Guimarães foi eleito sócio correspondente do Instituto Geográfico e Histórico da Bahia.

 

■ ■ ■ Em sessão solene no Salão Nobre do Instituto, dia 19, foi empossado o historiador Francisco Tancredo Torres como sócio efetivo, passando a ocupar a cadeira n°. 17, vaga com o falecimento do historiador Alfredo Carlos Schmalz. O novo sócio foi saudado pelo confrade Luiz Hugo Guimarães.

 

■ ■ ■ O historiador Victorino Coutinho Chermont de Miranda, sócio correspondente residente no Rio de Janeiro, lançou o livro Iconografia e Bibliografia dos Titulares do Império. É o quinto da série e abrange os Títulos das letras I e J.

 

■ ■ ■ Em sessão ordinária, dia 29, foi lançada a Revista do Instituto n°. 36, registrando-se a passagem do aniversário da fundação do Instituto, uma vez que não foi possível comemorar os 98 anos do Instituto no dia 7. O presidente Luiz Hugo Guimarães distribuiu com os presentes o Relatório referente às atividades do Instituto no ano anterior.

 

■ ■ ■ O confrade Luiz Hugo Guimarães foi eleito sócio correspondente do Instituto Arqueológico e Histórico Pernambucano.

 

■ ■ ■ Em outubro, dia 1°, na sede do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado da Paraíba (IPHAEP), foi lançado o livro Patrimônio Histórico da Paraíba – 2000-2002, de autoria do consócio Itapuan Bôtto Targino.

 

■ ■ ■ O confrade Luiz Hugo Guimarães recebeu a medalha comemorativa do sesquicentenário do nascimento do historiador Capistrano de Abreu, que lhe foi concedida pela Academia Cearense de Ciências, Letras e Artes do Rio de Janeiro.

 

■ ■ ■ Nosso sócio Joacil de Britto Pereira teve seu nome incluído no Conselho de Notáveis do jornal Correio da Paraíba.

 

■ ■ ■ O musicólogo Domingos de Azevedo Ribeiro, sócio efetivo do IHGP, dia 18, foi homenageado no Teatro Paulo Pontes pela Orquestra Sinfônica da Paraíba, da qual ele foi um dos fundadores.

 

■ ■ ■ O companheiro Guilherme Gomes da Silveira d’Avila Lins participou do Seminário promovido pela Câmara Municipal de João Pessoa sobre o tema Carnaval Pessoense em debate, ocasião em que apresentou um trabalho sobre a “Micaroa”.

 

■ ■ ■ Dia 30, na Academia Paraibana de Letras, o confrade Ascendino Leite lançou seu livro Aforismos de Precisão.

 

■ ■ ■ Na data do seu aniversário, em 30 de outubro, o confrade Afonso Pereira da Silva inaugurou um Arquivo Eletrônico e Sala da Imagem e do Som nas dependências da sede do seu Arquivo Particular, no Jardim Glória.

 

■ ■ ■ No IX Festival Nacional de Artes no Espaço Cultural, dia 6, nosso teatrólogo Altimar de Alencar Pimentel lançou seu livro Teatro de Raízes Populares – 1. Igualmente, o confrade Ascendino Leite lançou uma plaqueta intitulada O Suicídio de Getúlio.

 

■ ■ ■ De 4 a 6 de novembro, realizou-se no Rio de Janeiro o II Seminário de Museologia, História e Documentação, tendo o Instituto se feito representar pelo associado Itapuan Bôtto Targino.

 

■ ■ ■ No dia 8, dentro das comemorações do centenário da cidade de Patos, PB, o consócio Flávio Sátiro Fernandes lançou seu livro Na Rota do Tempo (Datas, fatos e curiosidades da História de Patos).

 

■ ■ ■ Os consócios Adauto Ramos e Luiz Hugo Guimarães foram reeleitos, respectivamente, Presidente e Vice-Presidente do Instituto Paraibano de Genealogia e Heráldica.

 

■ ■ ■ O Historiador Luiz de Barros Guimarães foi eleito sócio correspondente do Instituto Histórico e Geográfico de Minas Gerais.

 

■ ■ ■ Os associados Luiz Augusto da Franca Crispim e Afonso Pereira da Silva tiveram seus nomes incluídos no Conselho de Notáveis do Sistema Correio da Paraíba.

 

■■■ Dia 10, o consócio Luiz Nunes Alves foi homenageado no Teatro Santa Roza pela Assembléia Legislativa do Estado com a outorga da Medalha “Epitácio Pessoa”.

 

■ ■ ■ No dia 25, em Campina Grande, o confrade Luiz Nunes Alves foi empossado na cadeira n° 34 da Academia Brasileira de Literatura de Cordel.

 

■ ■ ■ Dia 2 de dezembro, no Salão de Recepções de Tia Nila, realizou-se a solenidade de posse da nova associada do IHGP, a acadêmica Adylla Rocha Rabello, sucedendo à historiadora Carmen Coelho de Miranda Freire. Foi saudada pelo confrade Flávio Sátiro Fernandes.

 

■ ■ ■ Encerrou-se, no dia 9, o Ciclo de Debates que explorou o tema Paraíba Colonial – Século XVI, uma revisão crítica à luz de documentos primários, cuja exposição esteve a cargo do confrade Guilherme d’Avila Lins. Durante o encerramento foram entregues Certificados a 22 dos 33 participantes inscritos no Ciclo.

 

■ ■ ■ A Prefeitura do Recife, dia 10, lançou os livros vencedores dos Prêmios Literários Cidade do Recife/2002, incluindo Olga Benário Prestes, de autoria do consócio Joacil de Britto Pereira.

 

■ ■ ■ A Editora UNIPÊ lançou o livro do confrade Manuel Batista de Medeiros, sobre os holandeses na Paraíba, intitulado Capitania Holandesa da Paraíba – O Condado dos Pães de Açúcar, numa visão do século XVII.

 

■ ■ ■ Também em dezembro, o confrade Humberto Fonsêca de Lucena lançou o livro de sua autoria A Associação dos Magistrados da Paraíba – Uma trajetória de 45 anos.

 

■ ■ ■ Na sede da Fundação Casa de José Américo, foi lançado o livro Bibliografia Paraibana de Folclore e Literatura Popular, do consócio Altimar de Alencar Pimentel, em parceria com a professora Francisca Neuma Fechine Borges.


Cd Revistas do IHGP ■ ■ ■ O acontecimento mais importante do mês de dezembro foi o lançamento de um CD duplo contendo o texto de todas as Revistas do Instituto até o n°. 35. O CD contém 10.200 páginas de trabalhos publicados desde a primeira Revista, editada em 1909. Contribuíram para o êxito desse empreendimento a Fundação Biblioteca Nacional e o Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro e a equipe do IHGB, que contou com a extraordinária coordenação da nossa sócia correspondente Esther Caldas Bertoletti.

 

■ ■ ■ No dia 20 o Instituto encerrou suas atividades de 2003, ocasião em que o presidente Luiz Hugo Guimarães apresentou o Relatório das Atividades do IHGP em 2003 e concedeu Certificados de Reconhecimento aos associados que publicaram obras durante o ano.

 

 

Quadro Social

 

Em 2003 o movimento no Quadro Social do Instituto sofreu algumas transformações com o ingresso de novos sócios e a eleição de vários sócios correspondentes.

No dia 2 de abril faleceu a confreira Carmem Coelho de Miranda Freire, que ocupava a cadeira n°. 29, que tem como Patrono o Arcebispo D. Carlos de Gouveia Coelho e em 8 de julho, em São Paulo, faleceu nosso sócio benemérito Tarcísio de Miranda Burity.

Ingressaram no quadro de sócios efetivos:

·         Evandro Dantas da Nóbrega, em 27 de junho, passou a ocupar a cadeira n°. 05, sucedendo ao consócio Fernando Melo do Nascimento.

·         Francisco Tancredo Torres, em 19 de setembro, ocupou a cadeira n°. 17, sucedendo ao confrade Alfredo Carlos Schmalz.

·         Adylla Rocha Rabello, em 5 de dezembro, passou a ocupar a cadeira n°. 29, sucedendo à historiadora Carmen Coelho de Miranda Freire.

 

Ao quadro de Sócios Correspondentes foram acrescentados os seguintes historiadores:

·         João Carlos Vicente Pereira, presidente do Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso;

·         Manuel Eduardo Pinheiro Campos, presidente do Instituto do Ceará;

·         Miridan de Brito Knox Falci, sócia e coordenadora da Revista do IHGB;

·         Joaquim Eloy Duarte do Santos, presidente do Instituto Histórico de Petrópolis, RJ;

·         Clotilde de Lourdes Branco Germiniani, sócia do Instituto Histórico e Geográfico de Santa Catarina.

 

 

 

2004

 

 

O ano 2004 se iniciou com a perspectiva de grandes projetos a serem realizados pela Diretoria do Instituto, uma vez que em 2003 seu principal projeto obteve êxito, que foi o referente à microfilmagem das Revistas do Instituto para facilitar sua digitalização e colocá-las em CD. Alcançado esse objetivo, a Diretoria do Instituto acolheu várias sugestões dos diretores e associados para serem implementadas durante o ano.

Iniciou-se projeto que tomou o nome “Álvaro de Carvalho” para microfilmar os jornais e revistas antigos constantes do seu acervo, bem como documentos coloniais e imperiais existentes no seu Arquivo Documental “Flávio Maroja”.

Em princípio, o projeto seria executado em convênio com a Fundação Biblioteca Nacional e Universidade Federal da Paraíba, tendo como Gestor Cultural o SEBRAE.

Para elaborar o projeto houve várias reuniões na sede do IHGP com a presença das professoras Rosa Maria Godoy Silveira, nossa consócia, Gloriete Rodrigues e Beatriz Lavier (UFPB), professor Rogério Carnasciali e J. Welles Soares (SEBRAE) e dos Diretores do IHGP presidente Luiz Hugo Guimarães e 2° secretário Humberto Fonsêca de Lucena, e da bibliotecária-arquivista Geovânia Fernandes de França.

Foram iniciados imediatamente os trabalhos preliminares de higienização e catalogação dos documentos, inclusive dos pertencentes ao Núcleo de Documentação e Informação Histórica Regional (UFPB).

Aprontado o material para ser microfilmado e digitalizado, houve o rompimento do SEBRAE com o seu Gestor Cultural, ficando o projeto em compasso de espera até a indicação de novo Gestor.

Esse projeto é de grande significação para a preservação do material existente não só no IHGP como na Universidade, cuja apresentação exige o maior cuidado para não desaparecer.

Outro projeto da Diretoria é tornar o Instituto uma entidade de Utilidade Pública perante o Governo Federal, a fim de poder receber os favores dos projetos culturais existentes no Ministério de Cultura. Para esse fim, a Diretoria estará tomando as devidas providências junto ao órgão competente.

Com a formalização de uma nova Lei de Cultura pelo Estado, o Instituto  pleiteou apoio para a restauração da sua Pinacoteca, a qual conta com retratos antigos de figuras importantes da administração provincial da Paraíba e paisagens de ilustres artistas conterrâneos necessitando de restauração. De comum acordo com o Instituto o restaurador Fernando Diniz inscreveu sua empresa para tal fim, sendo seu projeto aprovado pelo Fundo de Cultura do Estado.

O Instituto iniciou os preparativos para as comemorações do centenário de sua fundação, que ocorrerá a 7 de setembro de 2005, tendo a Diretoria elaborado um projeto ambicioso visando realizar um Encontro Nacional de Institutos em João Pessoa.

Os primeiros entendimentos já foram iniciados com as autoridades governamentais em busca de apoio financeiro para a realização, com êxito, do evento da mais alta importância para a cultura paraibana, posto que o Instituto Histórico e Geográfico Paraibano é a instituição cultural mais antiga em funcionamento da Paraíba, sem qualquer interrupção.

Além desses projetos, o IHGP continuou no ano 2004 a rotina de suas atividades, mantendo em funcionamento sua Biblioteca e seu acervo documental à disposição dos seus numerosos pesquisadores, promovendo sessões especiais e de lançamentos de livros dos seus associados.

Em 2004, em setembro, encerrou-se o mandato da Diretoria, procedendo a eleição da Diretoria, Conselho Fiscal e componentes das Comissões de Estudos. Eleitos em assembléia geral em agosto para o mandato do triênio 2004/2007, a Diretoria ficou assim constituída:

 

Presidente

Luiz Hugo Guimarães

Vice-Presidente

Dorgival Terceiro Neto

Secretário Geral

Adauto Ramos

1ª Secretária

Waldice Mendonça Porto

2º Secretário

Humberto Fonsêca de Lucena

Tesoureiro

Deusdedit de Vasconcelos Leitão

Diretor de Arte e Cultura

Marcus Odilon Ribeiro Coutinho

 

Conselho Fiscal

Adailton Coelho Costa

Luiz Nunes Alves

Luiz de Barros Guimarães

Suplentes

Lúcia de Fátima Guerra Ferreira

Maria Balila Palmeira

Rosa Maria Godoy Silveira

 

Comissões Permanentes

 

História e Arqueologia

Joacil de Britto Pereira

Hélio Nóbrega Zenaide

Teresinha de Jesus Ramalho Pordeus

Humberto Fonsêca de Lucena

Geografia e Ecologia

Wellington Aguiar

Flávio Sátiro Fernandes

Péricles Vitório Serafim

Adylla Rocha Rabello

 

Antropologia, Etnografia e Sociologia

Itapuan Bôtto Targino

Eurivaldo Caldas Tavares

Altimar de Alencar Pimentel

Nivalson Fernandes de Miranda

 

Admissão de Associados

Guilherme Gomes da Silveira d’Avila Lins

Joaquim Osterne Carneiro

Altamir Cleto Milanez Pinto

Rosilda Cartaxo

 

<--Página anterior       Próxima página -->



|Inicial | O Que é o IHGP? |Histórico| Símbolos do IHGP |Diretoria |Sócios |Biblioteca |Arquivo |
| Museu |História da Paraíba| Publicações |Links |E-mail |Livro de Visitas | Notícias |


Editor do site